.Línea...

.Línea...

.Texto meu, que a revista 'Casa e Jardim' publicou em 2011...

É incrível como a profissão pode ser definida desde criança sem você ao menos se dar conta.Hoje,"amadurecida" e lembrando de décadas atrás,consigo entender como os jardins dos meus avós se "enraizaram" em mim.Lá, em Santiago, no Chile,existiam vários jardins,várias surpresas,várias possibilidades de encantamento.Havia uma parreira enorme que ficava tão cheia de uvas,que meus avós as distribuíam em caixas para os vizinhos.Embaixo dessas mesma parreira,meu avô Nino pintava seus lindos quadros e eu acompanhava tudo com meus primeiros lápis de cor...Engraçado que eu não consigo imaginar outra forma de apresentar meus projetos de paisagismo que não seja através dos meus desenhos coloridos com traços infantis...Sim, o traço continua infantil.
A minha bisavó Palmira gostava de cuidar do Jardim das Rosas.Somente ela podava as flores.Esse jardim era separado por um murinho baixo e existia um portãozinho de ferro.Fechando os olhos ainda consigo sentir o cheiro.Lembro que ela colhia as flores no avental para fazer os arranjos da casa, que ficava perfumada.
Já a minha avó Carmen,que era literalmente um doce, gostava do pomar.Eu me acabava junto com ela de comer cerejas direto do pé.E a cachorra da casa, a vira-lata Póla,acompanhava a gente o tempo todo.Nesse pomar existia também um forno de barro, onde minha avó fazia pão.(...)
Os jardins da minha infância eram uma mistura do melhor que pode existir na vida:o gosto das frutas, o cheiro das flores, do pão e da tinta a óleo do meu avô,mais o som da música clássica saindo da vitrola velha(de preferência Carmen de Bizet em homenagem à minha avó com direito à regência do avô e dança da neta), a cachorra correndo, e a liberdade e amor que toda criança deveria ter...(...)
Um jardim tem de servir para ser "vivido" com seus cheiros,cores,texturas,sombras e surpresas.É nele que podem acontecer coisas simples ou incríveis que influenciarão a sua vida inteira.Os jardins da minha infância definiram quem eu sou.E eu gosto de quem eu sou...E ainda dizem que jardim é supérfluo...
Claudia Muñoz
(texto publicado na revista 'Casa e Jardim" em 2011)

terça-feira, 16 de agosto de 2016

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

.Mais uma do Harvey ...e esta é uma das minhas frases preferidas "dele" : "SOMETIMES GOOD GUYS GOTTA DO BAD THINGS TO MAKE THE BAD GUYS PAY." ;)

.Modificações na cobertura da Priscila...Dando uma "incrementada"...rsrsr

 

.Mais algumas fotos dos meus trabalhos :)

 

 

.No Chile o dia dos pais é comemorado em Junho...Aqui está a mensagem que eu mandei para o meu velho nessa época...Ontem, deixei mensagem curtinha no Instagram...

Tenho uma certa aversão dessas frases prontas tipo:"Para o melhor pai do mundo"...blá blá blá...Meu pai certamente não é o "melhor pai do mundo" desses estampados num cartão da Hallmark ...Meu velho é cheio de defeitos...preconceitos...é cabeça-dura...e às vezes totalmente "sem filtro"(isso me faz rir muito)...Mas é o "Melhor PAI para mim...".Não gostaria nem por um único minuto ter tido outro pai...Esse cara me entendeu desde o primeiro minuto que entrou na minha vida...Sempre supriu minhas necessidades AFETIVAS e sempre entendeu que eu precisava ser LIVRE para ser feliz...Nem uma única vez ele me colocou limites do tipo..."Isso não é para você" ou..."Você não vai conseguir"...Nem quando eu era criança e botei na cabeça que queria ser astronauta...kkk...Vc acha que riu de mim? Que nada!!!Me deu a "maior força" ...Nunca vou esquecer os conselhos que me deu quando "me" joguei de mochila pelo mundo.Esses eu carrego até hoje...pois se estou ainda numa "aventura" tentando descobrir qual é o meu "lugar no mundo" é porque eu tenho um PAI que posso ligar todos os dias para "jogar conversa fora" ou para contar que estou "com problemas"...Don Max é o meu melhor AMIGO...Besos papy te amo,,,gracias por hacerme tan parecida contigo...Certamente serei uma velha "sem-filtro"...kkkk